quarta-feira, 15 de Outubro de 2008

Métodos de Contracepção Cirúrgicos



Os métodos contraceptivos cirúrgicos como a laqueação de trompas e a vasectomia, como forma de contracepção definitiva conduzem à esterilidade, cujo significado diverge do de infertilidade.

Vasectomia





A vasectomia é um procedimento cirúrgico pelo qual um homem pode tornar-se estéril. Na vasectomia, os dois canais deferentes, pelos quais passa o esperma dos testículos até a vesícula seminal, são localizados e cortados, mediante uma pequena incisão no escroto. Em poucos meses o sémen não terá espermatozóides. Não há mudança na capacidade do homem em conseguir a erecção ou mesmo de desenvolver a actividade sexual após a cirurgia. A única diferença é a ausência de espermatozóides no esperma. A operação é com anestesia local, indolor e o período de recuperação é breve.


Quando é utilizada?

A vasectomia é um dos meios mais eficientes e seguros para obter controlo de natalidade e só deve ser realizada a pedido do homem. É importante assegurar-se de que este é um procedimento na maioria das vezes irreversível. Uma alternativa é escolher outros métodos de controlo de natalidade, portanto será necessário perguntar ao médico sobre as alternativas disponíveis.


O que acontece durante o procedimento?




A vasectomia é realizada sem a necessidade de internamento hospitalar, podendo ser feita no próprio consultório médico. Geralmente leva 15 a 20 minutos. O médico aplica uma anestesia local em dois lugares no escroto e realiza um pequeno corte na pele de cada lado. Os ductos deferentes são expostos no lado de fora, onde em seguida de cada um deles é retirado um fragmento. Desta forma cada pedaço do canal remanescente é amarrado com o propósito de não haver uma possível recanalização. Este procedimento é feito nos dois ductos, um de cada vez. Após esta etapa, os canais são colocados de volta na bolsa escrotal e a pele é fechada por pontos.



O que ocorre após o procedimento?

Poderá ir embora após o término da cirurgia. Pode haver um pouco de dor no local por 3 ou 4 dias após a operação e um pouco de sangue ou outro líquido pode escorrer pelo corte. A área em volta do corte pode inchar um pouco e a pele poderá ficar levemente azulada ou escurecida. O médico pode recomendar o seguinte:

- Colocar uma bolsa de gelo no local da cirurgia por duas horas após o procedimento;

- Permanecer em casa por 2 ou 3 dias;

- Evitar carregar pesos, no mínimo durante 1 semana;

- Usar cuecas mais justas de modo a conter a bolsa escrotal por 4 ou 6 semanas;

- Tomar um analgésico simples como o Paracetamol (Tylenol) para aliviar a dor no período pós-operatório;

- Voltar ao trabalho o mais rápido possível, geralmente após alguns dias.




É possível voltar a ter relações sexuais logo que o indivíduo que proceder à cirurgia se sinta à vontade para fazê-lo, o que ocorre geralmente após uma semana da cirurgia. Durante pelo menos um ou dois meses, este deverá utilizar outro método contraceptivo para evitar uma gravidez indesejada. Isso é necessário até que os espermatozóides reservados se esgotem e o teste de contagem (espermograma) for negativo.

Se o homem realizou uma vasectomia há mais de 20 anos atrás ou já tinha mais de 40 anos na ocasião da cirurgia, terá um risco maior de desenvolver cancro de testículo ou da próstata.




Quais são as vantagens da vasectomia?

- Método seguro para evitar a gravidez;

- Não é necessário que se tome nenhum tipo de pílulas ou outras substâncias;

- Não é necessário que haja interrupção do acto sexual.




Quais são os riscos associados a este procedimento?

- A anestesia local pode não fazer efeito totalmente e algum tipo de desconforto pode ocorrer;

- Também em alguns casos mais raros, pode haver uma reacção alérgica à medicação utilizada como anestésico;

- Os tecidos ao redor do corte podem ficar inchados;

- Pode haver hemorragia na região da operação;

- Existe a hipótese de que em meses após a cirurgia, espermatozóides ainda estejam presentes no esperma e isso acarretar em gravidez indesejada;

- Há ainda o risco de infecção.

Quais os efeitos secundários da vasectomia?

A epididimite, que é a inflamação do epidídimo na parte alta dos testículos, provoca febre, dor, mal-estar e requer repouso e antibióticos. Mas o mais grave são os anticorpos antiesperma, já que os testículos continuam a produzir espermatozóides e os mesmos não encontram saída ao exterior, acumulando-se e formando assim pequenos nódulos ou grânulos espermáticos. Estes grânulos constituem parte de uma reacção imunológica que trata de imunizar o indivíduo contra o seu próprio esperma, onde qualquer que seja a quantidade de espermatozóides produzidos pelos testículos, é destruída imediatamente como se fosse uma doença. Origina-se assim a impotência sexual.
O homem que realize a vasectomia tende ainda a engordar, sobretudo na parte baixa do corpo, nos glúteos. Estudos realizados em Oregon, Estados Unidos, têm vindo a comprovar que a vasectomia acelera o endurecimento das artérias e por isso os indivíduos que se submetem a este método de esterilização têm maiores probabilidades de sofrer ataques cardíacos.






Laqueação de Trompas




A laqueação de trompas consiste no método de esterilização feminina, caracterizado pelo corte e/ou ligamento cirúrgico das trompas de Falópio, que fazem a ligação dos ovários ao útero. Assim, as trompas impedem a passagem do oócito II e os espermatozóides não o encontram, não podendo haver fecundação.



O que acontece durante o procedimento?

É necessário que a pessoa seja internada e leve anestesia geral ou regional. Existem cerca de dez técnicas para este método contraceptivo: pode-se colocar anéis de plástico, queimar e cortar as trompas, clipes de titânio, fazer com fio de sutura, etc.



Quais os riscos associados a este procediemento?

Um dos possíveis problemas que podem ocorrer durante o procedimento é o médico dar um nó muito forte ou atingir as artérias quando cortar as trompas, prejudicando a circulação do ovário e prejudicando as suas funções. Pode ainda, em casos extremos, causar menopausa precoce.



Após a operação, o risco de gravidez da mulher é de menos de 1%. O uso de métodos contraceptivos torna-se desnecessário. Porém, este método não impede a mulher de contrair doenças sexualmente transmissíveis.



O que ocorre após o procedimento?

As mulheres que acabam de dar à luz podem ser esterilizadas de imediato depois do parto ou no dia seguinte, sem permanecerem no hospital mais do que o habitual. A decisão de realizar a cirurgia deve ser tomada com ponderação, visto que a mulher está sujeita a danos psicológicos e muitas chegam-se a arrepender de tê-la feito. A laqueação das trompas é reversível, sendo que cerca de 70% das mulheres que a fizeram podem tentar realizar a cirurgia de reversão. Dessas, 80% poderão ter a hipótese de engravidar. O grau de reversibilidade depende da lesão causada na cirurgia. As laqueações mais fáceis de reverter são as feitas com anel plástico ou clipes de titânio.
Cerca de 60% das pacientes que querem fazer reversão é porque mudaram de parceiro e os outros motivos principais são a perda dos filhos ou a mudança nas condições financeiras.








4 comentários:

Maria inês disse...

chamo me Maria;a quatros anos atrás fiz laqueadura de trompas;porque ja era a minha terceira cesariana;tinha 33 anos ;o meu parceiro incentivou me a faze-lo;eu não estava ciente;em 2009 o meu parceiro imigrou para França deixando me com três filhos;ele tinha 38 anos;arranjou uma uma namorada de 22 anos e tiveram em 2010 um bebe!!! pergunto vos ;como posso refazer a minha vida novamente ao lado de outro homem se eu dei cabo do que nós as mulheres temos de mais belo!já não posso engravidar de novo!

juliana disse...

Maria as vezes isso pode ser ate melhor ,vc pode encontrar um homem que talves nem queira mas ter filhos a final sempre tem uma pessoa que combine com vc

Anónimo disse...

Meu esposo fez vasectomia, vai fazer 2 meses, e gostaria de saber se posso parar de tomar a pilula se a risco de me engravidar.

Anónimo disse...

Eu quero muito que meu esposo faça a vasectomia pois já tenho dois filhos sendo que das duas gravidez foram cesarianas eu tenho 28 anos e ele 27 e não queremos mais filhos será que podemos realizar esse procedimento ?